Bem Resolvida

Unha roxa (hematoma subungueal): como tratar?

Você já bateu o pé ou a mão em algum lugar e se deparou com a unha roxa? O chamado Hematoma Subungueal é quando ocorre um acúmulo de sangue embaixo da região ungueal, após ter sofrido um trauma.

Quando a unha sofre um trauma, a região que mais fica dolorida é geralmente a matriz, mas nem todos os traumas formam hematomas. Alguns deixam a unha branca e ela acaba descolando e caindo.

O hematoma subungueal é diferente de uma mancha preta, pois não compromete toda a unha. O hematoma, normalmente, é absorvido pelo organismo e vai subindo conforme o crescimento da unha, até desaparecer completamente.

No caso de unhas soltas, jamais deve ser arrancado, pois deixará exposto o hematoma ungueal, podendo inflamar e até pegar infecções, além de que a unha possui uma pele muito fina e sensível.

A unha solta pode ser considerada um curativo natural e só deve ser arrancada após nascer uma nova.

Geralmente, em atletas, é muito comum perder a unha ou ter unhas pretas. Neste caso, as unhas caem sozinhas.

Atletas que treinam para provas que exigem resistência e de longa distância são os que mais sofrem com estes traumas, pois os dedos sempre estão em contato com a parte da frente do calçado, diversos treinos podem levar a essa lesão, como, por exemplo, treinos por percursos pendentes.

Veja também:

Esmalte nude: confira dicas para combiná-lo com cada pele!

Quais são as causas?

O termo correto para este trauma, que é popularmente chamado de unha roxa, é Hematoma Subungueal, que é formado pelo atrito constante do dedo do pé com a parte frontal do calçado.

Os vasos capilares que ficam localizados embaixo da unha se rompem, gerando um coágulo, acompanhado de uma dor muito intensa, por causa da pressão do sangue e, consequentemente, levando à queda da unha.

Como prevenir?

Um dos métodos para evitar que este tipo de trauma ocorra após treinos muito longos, no caso de atletas, por exemplo, é usar a numeração correta do calçado, de acordo com o seu pé.

Se o sapato for em uma numeração menor que o ideal, provavelmente, irá ocasionar em muitas dores por causa do atrito, principalmente no dedão.

Um outro método preventivo é cortar as unhas regularmente e, também, manter os pés secos. Correr com os pés úmidos ou molhados aumentam consideravelmente as chances de formar bolhas, machucando o pé.

Usar meias é um ponto fundamental para evitar machucados, pois evita dos pés entrarem em contato direto com as costuras do sapato. Além disso, amarrar bem o tênis para assegurar que ele está bem encaixado nos pés.

Como tratar a unha roxa (hematoma subungueal)?

Em casos de problemas com unhas pretas, o ideal é deixar exatamente como está. Geralmente, o inchaço é um sintoma muito comum. Para aliviá-lo, é recomendado que deite e repouse a perna sob uma almofada. Aplicar gelo também pode ajudar no processo de desinflamação.

Geralmente, as unhas caem após um tempo. Deve-se evitar arrancar ou fazer qualquer esforço que venha forçar a unha a cair antes do tempo.

Conforme a unha cresce, a outra lesionada vai descolando até cair. É um processo natural. Se passar alguns dias e a região lesionada continuar dolorida, sem apresentar melhoras e com uma cor puxada para o castanho-avermelhado, recomenda-se que vá ao médico o mais rápido possível, para fazer um tratamento mais intensificado e curar o trauma.

Nestes casos, o tratamento é feito com auxílio de antibióticos. Em situações mais delicadas, se não for tratado, o hematoma subungueal pode causar onicólise (que é o caimento da unha), perdas, deformações e infecções graves na unha, entre outros problemas.

Veja também:

Desenhos de unhas: confira dicas para fazer sua nail art!

Unhas dos pés

As unhas são partes muito delicadas do nosso corpo, consideradas epiderme, uma camada superior ao tecido da pele que é endurecida com uma proteína que chamamos que queratina. As unhas não possuem vida e servem para proteger a ponta dos dedos e das mãos.

Todas as pessoas estão sujeitas a terem problemas nas unhas dos pés. Isto pode ocorrer ao longo da vida e, em alguns casos, é até normal.

As unhas podem ser quebradiças, curvas, irregulares, infeccionadas e, como falamos acima, podem até cair. Durante a velhice, a probabilidade de desenvolver doenças nas unhas se torna bem maior. Portanto, é preciso estar atento.

Os problemas nas unhas podem ser causados por inúmeros motivos, dentre eles: infecções por fungos, bactérias, víricas (causadas por verrugas), traumatismos, alterações no crescimento e até mesmo o mau corte ungueal, o que pode levar a unha encravada. Os traumas ungueais podem causar lesões irreparáveis.

Nas pessoas de idade, os problemas nas unhas podem estar relacionados, muitas vezes, à circulação, e isto faz com que as unhas fiquem mais frágeis.

Quanto mais velhos ficamos, mais espessas e secas as unhas ficam. Problemas de mobilidade dos idosos, falta de flexibilidade e até problemas de visão podem comprometer o corte ungueal correto, principalmente se as unhas estiverem deformadas.

Por isso, recomenda-se que os idosos, principalmente, frequentem o podólogo com regularidade, para que seja garantido um corte correto e tratamento das unhas, evitando doenças mais graves.

Sinais de alerta

É necessário estar observando as unhas: alterações na cor, textura e sinais de infecção devem ser tratados com o podologista. Para prevenir doenças nas unhas, é válido seguir alguns passos:

  • Cortar as unhas de forma reta. Não arredondar os cantos da unha, para evitar o encravamento;
  • Utilizar um alicate de qualidade para o seu corte;
  • Não partilhar os instrumentos de corte;
  • Não cortar as unhas muito rentes;
  •  Escolher calçado confortável e de qualidade, com tamanho apropriado aos seus pés;
  • Manter os pés sempre limpos e secos, especialmente entre os dedos, de modo a evitar a proliferação de fungos, que possam infectar as unhas;
  • Calçar meias de fibras de qualidade, pouco restritivas, que evitem o excesso de transpiração;
  • Ter cuidado com locais favoráveis ao desenvolvimento de fungos: balneários, piscinas, jardins e duches, evitando andar descalço ou partilhar calçado ou toalhas.

Os podologistas são profissionais da área altamente qualificados e treinados para diagnosticar, tratar e reabilitar a patologia dos pés.

É recomendável ir ao podologista com certa frequência para garantir a saúde dos pés. Existem diversos tipos de tratamento para problemas nas unhas dos pés, tratamento tópico antifúngico, tratamento oral e tratamento com antifúngicos orais e tópicos.

Tudo vai depender da gravidade do caso. E o podologista é quem irá avaliar cada situação. Cuide das suas unhas!

Até a próxima!

Deixe seu comentário!